Diz-se que Heráclito assim teria respondido aos estrangeiros vindos na intenção de observá-lo. Ao chegarem, viram-no aquecendo-se junto ao fogo. Ali permaneceram, de pé, (impressionados sobretudo porque) ele os encorajou a entrar, pronunciando as seguintes palavras: 'Mesmo aqui, os deuses também estão presentes'. (Aristóteles. De part. anim. , A5 645a 17ff).

segunda-feira, novembro 13, 2006

Em resposta a Janavatsala.

Querida amiga Janavatsala:

É verdade, é possível ser feliz neste mundo. Não aquela felicidade perene que as escrituras das diversas religiões prometem para um tempo futuro, o qual não existe de fato. Mas, é possível uma felicidade concreta, feita de momentos mais ou menos intensos. E, mesmo quando sofremos, ainda é possível identificá-la como pano de fundo de todo o resto.
Honestamente, eu acredito nesta felicidade e não naquela outra das ficções futuristas. Decidi pela felicidade agora e tenho agido nesta medida. Isso porque minha felicidade atual (aquela que não depende de nenhuma condição futura) tem uma fonte perene e inesgotável: o amor. Sim, o amor por mim, em primeiro lugar. Um amor sem o qual não é possível amar outras pessoas, nem mesmo ao deus. Esse amor, cara amiga, é verdadeira sabedoria.
Lembro-me de Platão neste momento com sua dialética ascendente do amor. Primeiro é preciso partir do mais concreto em direção ao mais abstrato e inteligível. Amo em primeiro lugar os corpos e as formas do mundo sensível, para em seguida, nelas, passar a contemplar e amar de um amor impossível todo o resto. Claro, em Platão isso soa diferente. Mas estou me apropriando da concepção platônica para fazer ver a profundidade de minha própria situação.
Alguns podem dizer: ilusão! Mas, perdem aqueles que não entram no jogo (in-ludere). A vida é jogo, por isso estamos todos iludidos, enfim. Eu, ao menos, me sei em jogo. E como um cachorrinho que se diverte com a bola de papel, nã preciso de mais nada para ser eu mesmo.
Não sei estou sendo claro o suficiente. De qualquer forma, temo a clareza e a distinção como a pecados capitais do pensamento. Mas, ainda assim penso que você me compreende.
Irei vê-los em breve.
Com saudade:
Bhaktisiddhanta Dasa.
_______________________________
A carta acima é para Janavatasala, minha amiga. Mas, simultaneamente é para todos meus amigos e amigas; e para aqueles que puderem compreender minha linguagem.

4 comentários:

janavatsala disse...

querido amigo bhaktisiddhanta...
obrigada por tua resposta,(li hoje!!)...e cada vez mais fico feliz por vc e por tudo que está vivendo,certamente eu te entendo...
1 abrç

Cintamani disse...

... Hare Krishna! e eu não te entendo pq vc esqueceu de sua irmã/dourada favorita ... hihihihi... vc vai ao Vyasa Puja de Gurudeva amanhã? Haribol!! sua serva e irmã eterna, Cintamani *:)

Vaijayanti dd disse...

Sim... amar a si mesmo..se aceitar..se compreender...e daí, enfim, partir para os universos alheios, com amor!!!
Essa felicidade atemporal...sem causa aparente...que vem de lá...donde?! alguém sabe?!
Um abraço querido!!
Vaijayanti dd

Um mosaico chamado Thiana disse...

Eita saudade das nossas conversas!!!
Bjs no coração!!