Diz-se que Heráclito assim teria respondido aos estrangeiros vindos na intenção de observá-lo. Ao chegarem, viram-no aquecendo-se junto ao fogo. Ali permaneceram, de pé, (impressionados sobretudo porque) ele os encorajou a entrar, pronunciando as seguintes palavras: 'Mesmo aqui, os deuses também estão presentes'. (Aristóteles. De part. anim. , A5 645a 17ff).

quarta-feira, novembro 29, 2006

Cântico sagrado.

Quando à força das palavras
entrego-me impotente, no fundo
vazio de mim mesmo, experencio
o silêncio em toda sua real eloqüência.

E todas as coisas emergem de seu
abismo escuro em cores e formas
com a intensidade do verdadeiro.

No centro, para onde tudo converge,
simultâneo o deus se alegra e se retira,
se expande e, em seu ser, tudo retrai:
os nomes se dão.

E em mim, de ouvidos moucos
a todo o resto, reverbera como em
catedral a palavra misteriosa
que tudo revela.

4 comentários:

Larinha disse...

Ebaaa poesia nova!!]
Sem comentarios...
Me chamou de "puxadora de saco", mas entenda que não sou, apenas reconheço seu talento diante da linguagem!
Fiquei super feliz em ve-lo, e mais ainda tão bem como aparentavas estar, espero que seu seu sorriso seja eterno, é ótimo ve-lo bem!!
Muita paz pra ti!!
beijos, amigo!

Ps:escreva sempre e mais.

Anônimo disse...

"Por que há desejo em mim, é tudo cintilâncias"
Como suas palavras cintilam e me inspiram, Augusto!
Beijos e abraços, com muita saudade!
Rúbia

Cintamani disse...

Hare krishna! Jaya Radha Madhava!! que Cântico Sagrado Lindo!mil felicidades de sua irmã espiritual! Cintamani! *:)

Jorge dos Santos disse...

que bacana! parece que o poema fala de si enquanto se escreve!